Preta Resistência

Começa com o grito, depois xingam e com toda força batem na tua cara com a mão fechada. Se você cair; sequência de chutes, cassetetes e incansáveis ofensas. Se levantar; mata leão, coronhadas e prejuízos. Enquanto apanha, tenta entender o motivo. Quem já sofreu algum dos impactos citados ao ser enquadrado pelos ‘vermes da lei’? Se você não,  quem sabe teu filho? teu irmão? Se ainda não, provavelmente teve a sorte de ter um ‘Stivie’ amenizado enquanto o outro ‘come o teu rabo’ dizendo ameaças e profanações. Se tiver mal trajado você leva até cuspida na face, se chamá-los de ‘sinhô’, fodeu… E se você for preto num enquadro, caluniado será, fato.

Todas as agressões que eu já vivi num momento de enquadro não são justificadas. A maioria das que eu já vi e ouvi também não. É visível e escancarado o total abuso de poder dos ratos armados. Você não representa perigo algum; Se olhar muito pra cara deles, leva tapa, se fizer cara feia, coronhada, se não tiver as mãos na cabeça leva um tiro, no máximo. Mas sem generalizar. Parece que são pagos para propagar o terror, não exigem mais respeito, querem botar medo nas pessoas, forçar a barra que nunca foi leve. O respeito deles a gente não tem mais. E se tiveres com os olhos avermelhados, ah meu caro, além disso, eles podem ficar roxos! Sem contar a terrível e inesquecível sensação de ter um spray de pimenta disparado nos olhos e na boca, e dias sem sentir o gosto das coisas.

Já apanhei dos rato cinza algumas vezes, mas não aprendi… Vai ver é porque não é batendo que se ensina. A única coisa que o militar conseguiu matar dentro de mim foi a esperança de um dia voltar a crer nele. Mas sem generalizar.

‘Se eles vem com fogo em cima é melhor sair da frente, pois tanto faz e não se importam se você é inocente. “Com uma arma na mão eu boto fogo no país e não vai ter problema, eu sei, estou do lado da lei”. – como relatou Dinho em Veraneio Vascaína, de 86, brutal e tão atual, só que agora com Hilux 2015.

Eu, aos 26, movido por certezas, enterrei a esperança e represento a resistência. Estudante e trabalhador em constante correria, porque filho mimado a rua não cria.

D.

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s