Aos Velhos Amigos

E aí, meus velhos amigos
resolvi abrir o nosso caderno de afetos
para ver fotos e recordar momentos
passou veloz… É, tempo é vento!
eu torço para que estejam vencendo

Quantas histórias vivemos ali;
passado que hora me chora, hora  me sorri
Horas; e ainda estou aqui
vendo as tuas fotos, me sinto até aí
Te fazendo vibrar, tal qual estou aqui

Quantos amores passaram; quantas brisas colaram
é, as águas rolaram…
nada foi desperdiçado! Noto o quanto mudei;
Mundo que tem mais sentido hoje;
~perto daquelas palavras cruas de outrora~
atitudes que desintegrou a nossa aliança
coisas do tempo, coisas de ‘criança’
Nada como a idade pra nos revelar;

Percebo que essa é uma boa hora;
e quero somente agradecê-los por serem parte da minha trajetória;
Então evoluindo sorrio e vou fazer novas histórias..
Glória
partiu!

D.

(Reflexão sobre um dos textos que li no livro Maneira de Serda Marina Lima. Editora: Língua Geral)

o tempo e o moço

Pic: https://instagram.com/p/4hMPzMNxuW/?taken-by=odiegoborges

 

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Anúncios

4 comentários sobre “Aos Velhos Amigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s