Paulista Fire

resumindo;

espero
áspero austero árduo no oeste pardo e uma louca longa noite negra de lua cheia de beleza.
se vista do céu contrasta com o ambiente teu – meu bem querer, pensa só: cidade / serra / mar e o azul do teu lugar e penso só: do nada você na areia e um pulo para o verde oceano onde cê tromba seus mano enquanto eu aqui solitário feito um otário apenas por demais de ti gostar.
um ou outro pra me fazer sorrir… e ninguém a me ver bocejar.
cada um no seu mar_

esquivo
receio reveses conversas só as breves e nem beijos de leve para me consolar.
eu sou vagabundo bandido profundo – guerreiro, nas horas que desisti de lutar / perder / ganhar um pedido: paciência; proponho à nós puro progresso prosperidade paz permanência sem promessas nem concorrências e sim amor alma chama licor esqueleto sangue carne veias tudo.
gosto decente love rock soul foda… sou terra não quero te apagar fogo.
cada um no seu mar_

[e ainda todas estas catástrofes ocorrentes no ~quase surdo mudo~ mundo atual. quem deve ser o próximo a se atirar??] 

eu quero te abraçar.♥

aal

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s