Meu Nude

Se pra você eu sou tarde, eu me explico:

É que antes de eu sair do armário, resolvi fazer uma faxina nele; queimei as roupas que os hipócritas imorais me vestiu em suas mentes sujas. Agora eu ando nu! Continuar lendo

Anúncios

Rubi 7

Bom dia Estação inverno vozes meus passos velozes e os meus olhos ferozes atravessam a cidade trens trilhos ruídos altos muros fortes grades grandes grafites caixas de eletricidade fios passarela escada Estação casa ponte parque rio cargas carcaças postes andaime trator fumaça vapor estação asfalto plantas madeira pedras carros fixos lixos portão fluxo luxo felino papelão bilhete Estação placas canos ferros caídos buraco tubo areia túnel árvore fogueira passagem sacos iluminadores pilhas corrente frio e sol até a Continuar lendo

Loquaz Introvertido

Meu tempo é algo precioso. Esta certeza me proporciona apenas mergulhos profundos. Eu não aceito perder tempo com coisas rasas, ou me perder por multiversos rés…  Continuar lendo

Soneto Deserto

Vi,

Sem querer me tornar desertor desse pedido
Ei de fazer em seu rosto sorriso perdido
Retinas minhas rodeiam teu corpo achado
em páginas que a vida sopra pro meu lado

Desdenhar não me tornará mais viril…
Inteligente é o homem longe de ser hostil!
Povos iguais cansam, existem mais de mil
Prefiro o meu calor, se assopra soa amor

Nuances agregadas num propósito infinito
Intuito em deixar dois corações mais bonitos
várias direções num só sentido, esta é a cura

Bem leve e solto eu me envolvo todo
enterro o arsenal que me era consolo e
me livro do peso levado desta vida dura                                    temperança

D.

Complemento: https://www.youtube.com/watch?v=nQ84WtdxcIo
pe diego

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Futuro passado

Se é preciso olhar para trás pra seguir em frente
Eu dedico agora para o meu futuro
uma velha obra deste meu atual mundo
Larguei trabalho, mas não paro…
Eu ando, corro, em busca de uma chance
Pedindo socorro
do bar
da lage
do busão
na cidade ou do alto do morro
Sei como chegar, bem como sair
Sem escorregar nem parasitar
Se eu cair, ei de me levantar
Sigo o meu caminhar;
São Jorge e Iemanjá dão as honras

Tenho de tudo um pouco:
Samba
sol
sombra e água de coco
Se observo à minha frente
aglomeração de gente
artistas independentes
Sequelo um belo deleite
Para o meu futuro passado de enfeite

 

D.

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Ler?

Quando nos disparamos contra o fluxo é que percebemos o nosso tamanho na sociedade. Eu vejo que a minha missão é ir contra o fluxo. E é uma tarefa diária, principalmente aqui no Brasil onde me deparo com uma mídia sensacionalista e boa parte da população vulnerável. Muitos brasileiros não gostam de ouvir, muito menos ler, o que julga não ser importante para si. Entretanto os benefícios da leitura são comprovadamente múltiplos, sacar outras percepções daquilo que você crê saber pode ser mágico, além de expandir processos cognitivos, estimula a criatividade e nos torna menos vulneráveis. Muito se sabe sobre o bem que a leitura nos proporciona,  por isso eu muito valorizo os bons escritos, bons escritores e bons leitores,  são vocês quem me dão forças para seguir remando contra a maré de futilidades que o nosso país vive atualmente. Leia! Leia para si mesmo, leia para uma criança, leia na sala de aula… Mergulhe nisso e você não se arrependerá. Deixe que dos escritos cuido eu e os meus colegas que escrevem. Mas nós precisamos que todos disponibilizem mais tempo para ler, isso aqui ou aquilo lá… Prometo te levar para viajar no melhor lugar e várias sensações boas vão rolar caso você se deixar levar. Eu digo isso porque me preocupo com o ranking que foi divulgado há algumas semanas pelo Market Research World, no qual revela o índice de Cultura Mundial, incluindo a leitura. Estamos mal na fita: Ficamos em 27° lugar entre os países com o menor número de leitores. A maioria da população brasileira, essa gente carismática e bonita, infelizmente não possui o hábito da leitura.

Dedicamos pouquíssimo tempo do nosso dia para ler e isso não faz sentido algum! Observe quantas opções culturais temos espalhadas por aí; tanto físicas quanto digitais. Agora, contra fatos não há argumentos:

Imagem

Vez ou outra me indago; se atualmente está assim, imagine como será daqui há alguns anos?! Enquanto penso, crio. Depois escrevo e leio, releio e por fim, posto. A parte que me cabe eu estou fazendo, desejando e me esforçando para que no futuro este ranking seja bem diferente do atual e que este meu texto tenha se multiplicado e lido por muitos, para que em uníssono possamos mudar e melhorar esta realidade. Estamos em 2014, ano decisivo de eleições e de copa do mundo… O nosso suor sagrado sendo gasto demasiadamente por esses políticos sujos que só pensam neles mesmos, ou em construir muros de escolas sem lembrar que lá deve haver um conjunto de profissionais competentes para lidar com essa nova geração. Querem construir novas unidades hospitalares, mas há vários hospitais em pé que foram esquecidos, por exemplo o Hospital Geral de Taipas, que tem uma baita estrutura externa e uma péssima estrutura interna e administrativa e psicológica. E você, o que mudaria no entorno do seu bairro? Diga para as urnas, elas ‘ouvem’.

Eu, que estudei em escolas públicas e precárias aqui em São Paulo, com muito esforço tive formações superiores pagando relativamente caro, mas em dia, as mensalidades universitárias, labutando muito pelo investimento. Sei o quanto é duro andar contra o fluxo, mas é minha fé quem me move. E se a fé move montanhas, vai mover também cada um dos Brasileiros à repensar em cada uma das suas atitudes. Por isso tudo crie o hábito da leitura… Ela transforma a gente da noite pro dia, sempre para melhor.

Saibam que é através de vocês que o Brasil pode e vai mudar e melhorar.

 

D.

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Realidade Since 88

Imagem

since 88

Desde 88 vivendo nesse mundo doido, na pele histórias de apertar o pescoço. Não precisei ver na tv, tampouco ler em jornal o preço caro que o pobre paga por ser um simples mortal, que acorda cedo, com olhos grudados, se apronta e desce a ladeira sentido o ponto de ônibus que já vem lotado, sofrendo em aventuras até chegar ao trabalho… Nessa vida eu vivi, essa vida eu venci. Só Deus sabe o quanto eu paguei para chegar até aqui. Já vi tanto chegar quanto partir, de maneiras distintas a morte só precisa de um motivo… É o que o pobre diz após voltar de uma igreja, com mínimo de informação o sábio não se deixa – sem ‘fé’.

São fé e esperança as fortunas de uma infância, o que eu precisei era mesmo tolerância. Memorizo leigo que dizia: esse mundo vai acabar. E tempestades me ajudaram a ‘viajar’; o mundo acaba e começa todo dia, pra tudo que têm vida, sem heresia. Nessa altura noto a falta de uns parceiros que partiram, deixando em meu peito o aperto de lembrar quando sorriam. E hoje os meus amigos quem são? Cadê? Vai vê deixamos o tempo passar veloz e nos perder… Mas aprendi a ter calma e transferi-la. Calma.

Sensação que nós, Brasileiros, perdemos à muito. Basta perder a calma para perder o emprego, basta perder a calma e o amor sai pelos fundos. Não sei o que é mais difícil de achar: Prêmios em promoção ou uma paciência? Pensando bem, por 10 conto 1, 2, 3 e já paciência, pronto! Quantas chances a vida nos dá para se ter calma? Ok, mas na favela as opções são poucas na batalha. Várias questões, cada um sabe da sua. Se a minha vida já dá filme, imagine a tua. Eu já passei várias fases, conheço as minhas bases. E não precisei matar nenhum sonho, nem ir atrás das grades. A havaiana furiosa me orientou depois da prosa; O meu respeito é bom se eu dividir com todos… Valores que fazem uns homens maiores que outros.

Gente boa eu tenho pra citar: Vanda, Graciele, Higor, Ivone, Nelzinha, Vanila… Eu cito pessoas do dia a dia, que batalham e merecem a calma no meio dessa correria que se tornou a vida.

Se hoje eu exponho versos em palavras doces, é porque eu enjoei do sal e de tantas dores. Quem vem de cima e não entende a minha realidade pensa que minhas poesias são covardes, por me inspirar no mar de rosas que um dia avistei ouvindo a Zélia, ela disse numa letra da bamba Lee: a felicidade tá logo ali. É preciso merecer, fazer por onde. Basta eu permanecer forte ela não ficará distante. Já é 04 de abril de 2014, em dez dias ficarei mais velho.

Enquanto envelheço De Quebrada, tento passar por cima de muitas mancadas. Já nasci de novo e se estou aqui é pra mostrar aos jovens de todas as idades as lições que aprendi. Ainda tenho muito pela frente, é Deus me guiando e plantando sua semente… Regue com amor… Esse não vê classe nem tempo e ainda colhe o que plantou.

Diego mini

 

D.

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©